DDS Online

Direção Defensiva: classificação e exemplos

O trânsito, assim como muitas outras coisas que conhecemos, é feito pelas pessoas. Então como em outras atividades humanas é necessário que se mantenha um bom relacionamento e uma boa convivência social para que tudo flua naturalmente.

Muitas vezes os valores de uma sociedade podem estar um pouco distorcidos e acabam acarretando graves consequências para o trânsito. Ser o mais veloz, o mais esperto, ter o melhor carro, levar vantagem são exemplos de valores encontrados na nossa sociedade. Mas não podem ser mantidos para sempre, pelo bem de todos e para a melhoria do trânsito.

Mudar comportamentos como esse é a única saída para uma vida coletiva com qualidade e respeito. Transformando esses valores será possível o surgimento de um trânsito mais humano, harmonioso, seguro e justo!

Mas como conseguiremos mobilizar toda essa transformação?

Primeiramente, devemos estar cientes de que em tudo o que fazemos há sempre uma dose de risco, seja trabalhando, em casa, na rua, viajando, etc. Quando uma situação de risco não é percebida, as chances de acontecer um acidente aumentam drasticamente.

No trânsito os acidentes implicam em danos aos veículos e geram lesões nas pessoas. Ou seja, sempre são ruins. Mas há uma maneira de evitar que aconteçam. Através de um mecanismo conhecido como Direção Defensiva.

O que seria direção defensiva?

Também conhecida como direção segura é uma atitude de segurança e prevenção de acidentes.

Mas como acontece?

O motorista que conhece as técnicas da direção defensiva trata corretamente o veículo na hora de dirigir, reduzindo a possibilidade de envolvimento em acidentes de trânsito. Este se torna capaz de reconhecer antecipadamente as situações de perigo, prevendo o que pode acontecer a ela, aos seus acompanhantes, com o veículo e as outras pessoas trafegando.

Simplificando, dirigir defensivamente é evitar acidentes apesar das ações incorretas dos outros e das condições adversas encontradas no trânsito.

E quais os tipos de direção defensiva?

• Preventiva: definida como a atitude permanente do motorista em evitar acidentes;

• Corretiva: atitude adotada pelo motorista ao se defrontar com a possibilidade de um acidente, corrigindo situações não previstas.

Então, como age um motorista consciente?

Antes de tudo é preciso conhecer as leis de trânsito. Um condutor defensivo preserva a sua vida e a de todos que estão à sua volta aplicando de modo racional e sensato os conhecimentos referentes à lei e mantendo uma postura na condução do veículo de sempre evitar acidentes. As normas e regras de trânsito jamais devem ser desrespeitadas. Geralmente, os acidentes são evitáveis por um ou ambos os motoristas envolvidos.

Certo, até agora entendemos o que é direção defensiva e como um motorista deve agir. Mas o que ele necessita para ter sucesso na aplicação dessa técnica? • Conhecimento sobre as leis e regras de trânsito através do Código de Trânsito Brasileiro e do aprendizado na prática.

• Atenção a todos os elementos da via, as condições físicas e mentais do condutor, a manutenção do veículo, etc.

• Prever uma situação de risco e saber exatamente como agir diante dela. Por exemplo: prevê a possibilidade de riscos em um cruzamento e sabe como agir diante disso.

• Decisão para ser sempre ágil nas tomadas de decisões não esquecendo o bom senso e da experiência.

• Habilidade para ser capaz de manusear os controles de um veículo e executar com sucesso qualquer manobra necessária no trânsito.

Somando-se a tudo o que foi citado é preciso conhecer e aplicar as três medidas básicas para a prevenção de acidentes:

• Considerar o risco;

• Conhecer e aplicar a defesa;

• Agir no momento certo.

Bem, agora já entendemos o que é direção defensiva e como aplicar a técnica. Porém, ainda há a necessidade de estarmos atentos a condições adversas com as quais precisamos saber como lidar. São consideradas condições adversas todos os fatores que podem prejudicar o bom desempenho no ato de conduzir, tornando maior a possibilidade de um acidente de trânsito. Existem várias dessas condições e vale lembrar que nem sempre elas aparecem isoladamente, tornando o perigo ainda maior.

Preste atenção aos exemplos de condições adversas:

• Condições adversas da luz que podem alterar a capacidade do motorista de ver e ser visto. A visão é mais prejudicada em dois momentos:

- Ao amanhecer ou no por do sol quando a luz incide diretamente nos olhos do motorista;

- Em dias de chuva quando os faróis causam ofuscamento da visão.

Para prevenir, em vias iluminadas utilize farol baixo, a noite ao perceber um veículo no sentido oposto abaixe o farol e nas rodovias utilize os faróis em luz baixa.

• Condições adversas do tempo reduzem a capacidade visual do motorista e causam problemas nas estradas deixando-as ainda mais perigosas. Nesse caso, reduza a marcha, acenda as luzes baixas e se o tempo estiver muito ruim pare e espere que melhore.

• Aquaplanagem ou hidroplanagem é a falta de aderência dos pneus a via. Ocorre por causa da formação de uma camada de água entre a pista e o pneu do veículo, levando o condutor a perda do controle do mesmo. Ao se encontrar nessa situação o motorista deve desacelerar suavemente, segurar firme o volante e manter o veículo em linha reta o máximo possível. Evite frear bruscamente e movimentar a direção de forma brusca. Veículos leves aquaplanam mais facilmente que os pesados.

• Condições adversas da via devem ser consideradas antes de iniciar o trajeto para planejar o melhor itinerário e o tempo necessário para chegar ao destino. Exemplos de condições adversas: curvas, desvio, largura da pista, buracos, obras, etc.

• Condições adversas do trânsito envolvem a presença dos outros usuários da via interferindo no comportamento do motorista. Existem períodos do dia que afetam bastante o tráfego nas vias como horários de pico, quando a movimentação de pessoas e veículos é intensificada. O motorista defensivo deve avaliar à frente a atrás, avaliando as condições do trânsito evitando situações estressantes e/ou sofrer qualquer acidente.

• Condições adversas do veículo. A manutenção deve estar em dia, pois além de valorizar o veículo é um investimento de segurança. É necessária que seja feita regularmente.

• Equipamentos indispensáveis para um bom condutor prevenido:

- Pneus;

- Freios;

- Sistema de suspensão;

- Sistema elétrico;

- Espelhos retrovisores;

- Limpador de pára-brisas.

Todos devem estar em perfeito estado para o bom funcionamento do veículo.

• Condições adversas do motorista são altamente importantes. É necessário que o condutor esteja física e mentalmente em condições de dirigir um veículo.

• São consideradas condições físicas: fadiga, sono, estresse, visão deficiente, audição deficiente, perturbação física, estado alcoólico.

• Maneiras de dirigir também são causas de acidentes no trânsito. Para conduzir o veículo corretamente deve-se dirigir sempre com as duas mãos segurando o volante firmemente, caso necessite parar utilize o acostamento, não se curve para apanhar objetos com o veículo em movimento, não fale ao telefone enquanto dirige e evite manobras bruscas.

Não tenha pressa ao dirigir! Planeje com antecedência o roteiro que for seguir para não precisar correr demais. Cuidado com qualquer coisa que possa distraí-lo de alguma forma!

• Colisões podem ser evitadas. Esteja sempre atento, tenha total controle do que está fazendo, mantenha distância do veículo da frente, nunca espere para frear muito próximo de outro veículo, sinalize suas ações, livre-se dos colados a sua traseira, cuidado com as curvas, atenção aos cruzamentos, cuidado com as ultrapassagens.

Use sempre o cinto de segurança! Seu uso é obrigatório e garante sua segurança em casos de acidentes.

Empregando sempre as técnicas para a direção defensiva, o motorista não só preserva sua vida como também a dos demais a sua volta e utilitários da via na qual se encontra.

Tenha amor pela sua vida! Dirija com consciência e respeito!

Você está aqui: Home Categorias Trânsito Direção Defensiva: classificação e exemplos