DDS Online

Vidro: frágil ou resistente? Como lidar?

Descoberto em, aproximadamente, três mil anos antes de Cristo, o vidro tem incontáveis aplicações nas mais diversas indústrias, devido a sua característica de dureza, inalterabilidade, resistência e propriedades térmicas, ópticas e acústicas, sendo um dos poucos materiais que ainda não possui substitutos. Está cada vez mais presente nas pesquisas de desenvolvimento tecnológico para o bem estar dos seres humanos.

O vidro nada mais é do que uma substância inorgânica, amorfa (sem forma determinada) homogênea, obtida através do resfriamento de uma massa em fusão. É caracterizado pela dureza e transparência.

Dentre suas principais características, destacamos uma bastante relevante, a reciclabilidade. O processo de reciclagem do vidro ocorre basicamente derretendo o vidro para sua reutilização. Você sabia que com 1 kg de caco pode-se fazer 1 kg de vidro novo? Pois é a mais pura verdade! O mesmo vidro pode ser reaproveitado quantas vezes forem necessárias. Ao jogar o vidro na natureza, este leva cerca de quatro mil anos para desaparecer!

A indústria vidreira no Brasil possui, atualmente, uma moderna tecnologia para produzir vidros com altíssima qualidade e níveis de segurança para os usuários. Porém, o produto é produzido para suprir as necessidades de seu destinatário final, e não foi projetado para sofrer os impactos do transporte. Principalmente pelo fato de no nosso país, esse transporte ser feito por estradas, através de carretas de caminhões, que percorrem longos e trepidantes caminhos.

É exatamente por esse fato que o transporte, manuseio e instalação do vidro devem ser feitos com absoluta atenção, evitando assim não somente danos ao produto, mas também acidentes aos trabalhadores que lidam diretamente com ele. Estatísticas mostram que os acidentes mais comuns nas empresas vidreiras são cortes nas mãos e braços.

Segurança é fundamental nesse setor. É fundamental que os trabalhadores tenham conhecimento dos riscos existentes, habilidade e comportamento seguro ao manusear o vidro. A Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT) não possui, ainda, normas específicas para o manuseio de vidros.

Então como proceder nesse caso?

Existem outras Normas Técnicas (NBR) que pontuam, dentro de seu tema principal, recomendações para o transporte e manuseio de vidros. São elas:

- NBR 7199: Projeto, execução e aplicações de vidros na construção civil:

- “As pilhas devem ser cobertas de forma não estanque, permitindo a ventilação e evitando infiltração de poeira entre as chapas. O local adequado de armazenamento fica a cargo da administração da obra”.

- “Devem ser estudadas adequadamente as movimentações horizontal e vertical do vidro na mesa, bem como sua montagem, em comum acordo entre fornecedor e consumidor”.

- NBR 11706: Vidros na construção civil:

- “As chapas de vidro devem ser manipuladas e estocadas de maneira que não entrem em contato com materiais que venham a produzir defeitos em suas superfícies e/ou bordas”.

- “As chapas de vidro, quando transportadas ou armazenadas em cavaletes, formando pilhas, devem ser apoiadas com inclinação de 6% a 8% em relação à vertical”.

- “As caixas fechadas usadas para acondicionar as chapas de vidro, em condições de transporte mais severas, não devem ser destinadas ao armazenamento prolongado, mesmo em locais secos”.

Podemos dizer então que, o treinamento se torna essencial para garantir a segurança em todas as operações em que o vidro é manuseado.

Conjuntamente com a utilização dos EPI’s adequados, como:

- Capacete, sapato de segurança, mangote, luva (fio de aço, algodão, látex, kevlar, etc.), óculos de segurança, avental (de raspa de couro, para corte, etc.).

- Deve-se evitar espaço entre a luva e o mangote, pois o punho não pode ficar desprotegido.

- Ao manusear vidro quente, use o EPI específico, que possua tecidos atoalhados e materiais resistentes à alta temperatura, luvas de fibra de carbono, capacete e máscara facial.

Algumas outras recomendações também são relevantes, como:

- No local de armazenamento do vidro, a base e as partes de encosto deverão estar forradas com borracha, carpete espesso ou outro tipo de material macio visando evitar quebras.

- Nunca se deve arrastar uma chapa de vidro sobre a outra, sendo ela colorida ou incolor, sem primeiro descolar a chapa da pilha ou do colar.

- O vidro não deve ser estocado exposto ao tempo, tampouco ser coberto com lona ou plástico, nem permanecer em galpões abertos, com umidade e goteiras, pois podem provocar manchas permanentes, afetando a qualidade do vidro.

Siga corretamente as instruções e zele pela qualidade do produto. Sua segurança só depende de você!

Você está aqui: Home Categorias Segurança Vidro: frágil ou resistente? Como lidar?