DDS Online

Trabalho de corte e soldagem a quente: de que forma estou protegido?

A soldagem, ou solda, é um processo que visa à união localizada de materiais, similares ou não, de forma permanente, baseada na ação de forças na escala atômica. É considerada a forma mais importante de união permanente de peças usadas industrialmente.

Existem dois grandes grupos de processos de soldagem:

• Processo de Soldagem Por Fusão: Uso de calor, aquecimento e fusão parcial das partes a serem unidas.

• Processo de Soldagem Por Pressão ou Processo de Soldagem no Estado Sólido: Deformação localizada pás partes a serem unidas, auxiliada pelo aquecimento destas até uma temperatura inferior a temperatura de fusão.

Podemos resumir então a soldagem ou solda como:

• O processo de produzir a fusão entre duas peças de metal, de modo que o local da junção forme com o todo uma massa homogênea.

Na soldagem, é aconselhável que os materiais das peças sejam iguais, ou pelo menos semelhantes em termos de composição.

Vamos agora entender algumas definições para melhor compreender o assunto:

• Trabalho a Quente: Qualquer operação temporária que envolva chama exposta, ou que produza calor ou faísca, podendo causar a ignição de combustíveis sólidos, líquidos ou gasosos.

• Vigilante Contra Incêndio: Pessoa treinada com a responsabilidade de fiscalizar o local onde o Trabalho a Quente está sendo realizado, com o objetivo de evitar a ocorrência de algum princípio de incêndio. Caso um incêndio aconteça, deve estar preparado para o combate inicial e a comunicação do mesmo.

• Operador de Soldagem e Corte a Quente: Pessoa qualificada e treinada para a realização deste trabalho.

Para a realização desse trabalho, algumas recomendações devem ser seguidas:

• Somente o trabalhador qualificado poderá realizar;

• Em espaços confinados, devem ser analisados, previamente, os riscos existentes, e definidas as medidas preventivas a serem adotadas;

• É proibido o uso de isqueiros a gás para acender maçaricos;

• O dispositivo usado para manusear os eletrodos deve ter isolamento adequado para evitar a formação de arco elétrico ou a ocorrência de choques;

• Utilize sempre anteparos anti-chama para a proteção dos demais trabalhadores no entorno do serviço;

• Os equipamentos de soldagem elétrica devem ser aterrados;

• Os equipamentos de corte e solda devem ser inspecionados antes do início do trabalho;

• As mangueiras dos conjuntos oxi-acetileno devem estar livres de ressecamentos e rachaduras;

• Nos conjuntos oxi-acetileno devem existir válvulas contra o retrocesso das chamas na saída do cilindro e na chegada do maçarico;

• Os manômetros dos equipamentos devem estar em perfeito estado de conservação e uso;

• Todos os produtos inflamáveis, principalmente os líquidos, devem ser removidos dentro de um raio de ação de 11 metros;

• Não é permitida a presença de pessoas próximas aos locais das atividades;

• É obrigatório o uso do EPI de acordo com a atividade;

• Não confie nos próprios sentidos. No caso de dúvida, peça ajuda ao Técnico ou Superior responsável;

• Evite se desconcentrar durante a realização da atividade. Deixe para conversar depois de realizar a tarefa. Dessa forma você se previne, e aos outros, do risco de um acidente;

• Sempre isole e sinalize áreas adjacentes laterais, acima e abaixo do local onde será realizado o serviço a quente, para evitar os respingos e fagulhas no ambiente e nos demais trabalhadores;

• Nunca permita que pessoas desqualificadas realizem esse tipo de atividade.

Estudos informam que trabalhos a quente tem sido a causa de um grande número de incêndios e explosões em instalações industriais e comerciais.

Esse risco pode ser controlado de forma eficaz aplicando um sistema de permissão de trabalhos a quente.

Medidas de prevenção formais devem ser de conhecimento de todos os empregados, sempre que esse tipo de atividade for realizada. Algumas medidas são básicas, como:

• Manter um alto padrão de higiene no local;

• Garantir o bom funcionamento de todos os equipamentos, assim como uma manutenção regular;

• Assegurar que os equipamentos de combate a incêndio estejam em perfeitas condições de uso, e suas vias de acesso desobstruídas;

• Garantir que as pessoas responsáveis por realizar os trabalhos a quente sejam treinadas em combate a incêndio;

• Depois que o trabalho tiver terminado o trabalhador que o executou e o vigilante contra incêndio devem verificar a área quanto a possíveis fagulhas que possam causar um incêndio posteriormente. Em seguida, o trabalhador assinará o encerramento da autorização para o trabalho a quente (emitida antes do início da operação).

• A vigilância contra incêndio deve permanecer no local por pelo menos 30 minutos após o término do trabalho para detectar quaisquer focos de combustão lenta.

Seguindo todas as normas e procedimentos adequados, é possível a realização de trabalhos a quente de forma segura e correta.

Não dê bobeira, preserve sua vida!

Você está aqui: Home Categorias Segurança Trabalho de corte e soldagem a quente: de que forma estou protegido?