DDS Online

Como proceder corretamente o descarte de material biológico

Todos os trabalhadores, independente da linha na qual trabalham, ou do setor, estão expostos à exposição aos Riscos Ambientais. Portanto existe uma classificação especial em relação à segurança dos trabalhadores, que está contida na Norma Regulamentadora número 9 (NR – 9).

De acordo com a NR – 9, os Riscos Ambientais podem ser definidos da seguinte maneira:

• Os riscos ambientais são os agentes físicos, químicos ou biológicos existentes no ambiente de trabalho que, em função de sua natureza, concentração ou intensidade e tempo de exposição, são capazes de causar danos à saúde dos trabalhadores.

Diante disso, há uma classe especial de trabalhadores que está relacionada diretamente com os riscos biológicos. Nesta classe encontram-se aqueles que trabalham em hospitais, consultórios dentários, clínicas veterinárias, matadouros, frigoríficos, lavanderias hospitalares, etc. Assim, ainda de acordo com a NR – 9, os riscos biológicos podem ser classificados como:

• A probabilidade de exposição ocupacional a agentes biológicos (microorganismos) indesejáveis.

Relacionado aos riscos biológicos, podemos dizer que uma das partes mais importantes da relação com a segurança acontece no final. Mas como assim? Simples. Como em muitos casos os agentes biológicos causam doenças graves e algumas vezes até fatais, toda vez que esses agentes forem manipulados, o material utilizado precisa ter a destinação correta. No caso desta não ser perfeitamente efetuada, não somente os trabalhadores correm riscos, mas também o meio ambiente.

O descarte de material biológico tem tanta importância quanto o correto manuseio dos agentes, como o uso de EPI adequado e como o conhecimento de práticas seguras.

Risco biológico nos remete a biossegurança. Para que haja a prevenção, minimização ou eliminação dos riscos inerentes, medidas de biossegurança devem ser adotadas. Tais medidas são aplicadas tanto dentro dos ambientes nos quais os agentes biológicos são manipulados, como também na destinação final do material.

Algumas das medidas de biossegurança são:

• Utilizar o EPI de acordo com a classe de risco do agente biológico;

• Possuir pleno conhecimento do trabalho que será realizado;

• Descontaminar todas as superfícies de trabalho diariamente;

• Possuir treinamento específico para o trabalho a ser realizado.

Sendo assim, qual é a forma correta de destinação final do material biológico?

• O descarte de materiais perfurocortantes (agulhas, seringas, tubos quebrados, tubos contendo material biológico) deve ser realizado em recipientes de paredes rígidas com tampa (por exemplo, latas de leite em pó) e sinalizado como “INFECTANTE”, ou em caixas coletoras próprias para o material infectante.

• O trabalhador não deve quebrar, recapar ou entortar agulhas ou qualquer material perfurocortante após o uso.

• O trabalhador não deve retirar a agulha da seringa manualmente. Deve ser utilizado um procedimento mecânico para tal fim.

• Papéis contaminados, luvas, gaze, algodão e outros devem ser recolhidos em lixeiras com tampa e pedal, contendo saco de lixo específico para material infectante.

• Todo material biológico contaminado que ofereça risco à saúde, deverá ser autoclavado antes do descarte.

• Alguns produtos nunca devem ser jogados na pia ou no lixo comum:

o Produtos que reagem fortemente com a água (ex.: metais alcalinos);

o Produtos tóxicos (ex.: fenol);

o Produtos inflamáveis;

o Produtos pouco biodegradáveis;

o Produtos biológicos (potencialmente patogênicos) que não tenham sofrido a descontaminação.

Lembre-se sempre que destinando corretamente o lixo e praticando as normas de segurança, a vida de outros trabalhadores também será preservada!

Você está aqui: Home Categorias Segurança Como proceder corretamente o descarte de material biológico