DDS Online

Rotulagem Ambiental. Essa moda pega?

Os rótulos servem para indicar as características dos produtos, assim como vemos nos supermercados, agora a moda é o selo verde, entre outros, porém oficialmente temos a Rotulagem Ambiental, conforme NBR ISO 14.024 (Rótulos e declarações ambientais - Rotulagem ambiental do tipo l - Princípios e procedimentos), norma do grupo 14.000 Sistema de Gestão Ambiental.

Os selos ou rótulos ambientais visam informar os consumidores ou usuários sobre as características benéficas ao meio ambiente presentes em produto ou serviço específico, tais como biodegradabilidade, retornabilidade, uso de material reciclado, eficiência energética e outras.

As normas ISO 14.000 classificam os rótulos ambientais em três tipos. Rótulos tipo I são aqueles criados por entidades independentes ou de terceira parte aplicáveis aos produtos que apresentem certos padrões ambientais desejáveis na sua categoria. A norma ISO 14.024, que trata desse tipo de rótulo, estabelece critérios para a criação de programas voluntários de terceira parte baseados em múltiplos critérios, que concedem licença para uso de rótulos em produtos que indicam a sua preferibilidade em termos ambientais dentro da sua categoria.

Esses rótulos devem basear-se na abordagem do Ciclo de Vida do Produto para que os impactos ambientais sejam considerados em todas as etapas do processo.

O rótulo tipo II, objeto da norma ISO 14.021, refere-se à reivindicação de autodeclaração, sem certificação independente ou com uma certificação feita por produtores, comerciantes, distribuidores ou por quem se beneficie de tal reivindicação, para informar aos consumidores as qualidades ambientais de seus produtos ou serviços.

A norma ISO 14.025 trata dos rótulos do tipo III, que são os que trazem informações sobre dados ambientais de produtos, quantificados de acordo com um conjunto de parâmetros previamente selecionados e baseados na avaliação do ciclo de vida. São rótulos concedidos e licenciados por entidades de terceira parte.

O selo norte-americano Energy Star e o brasileiro Procel seriam exemplos desse terceiro tipo de rótulo ambiental. Os princípios gerais para todos os tipos de rótulos e declarações encontram-se na ISO 14.020.

Esses selos e rótulos estão cada vez mais presentes nos produtos e serviços prestados. Essas certificações ganharam o mercado mundial tornando o produto mais valorizado e o país mais conhecido e reconhecido por fabricar de maneira sustentável e com qualidade desde o início da produção até a destinação final, ou seja, pós-consumo.

O selo pode ser adotado por qualquer ramo de empresa, porte ou segmento, existem várias instituições, ong´s, associações que promovem a implantação do selo através da verificação de boas práticas sustentáveis existentes na empresa ou a sua adequação.

Além de melhorar a qualidade ambiental, educar colaboradores e parceiros, contribuir para um planeta melhor, adequar as legislações vigentes, otimizar a qualidade do produto, ganhar competitividade de mercado a empresa também tem a imagem, marketing e reputação reconhecida.

Faça uma análise dos processos existentes na empresa e as atitudes dos colaboradores e crie uma política, boas práticas ou educação ambiental corporativa e adote esse conceito de selo verde para um retorno satisfatório a nível social, ambiental e econômico.

Na elaboração dos projetos conte com a participação de ong´s, normas associadas ao assunto e dinamismo, com isso a educação ambiental cresce e a empresa atua de forma sustentável.

Você está aqui: Home Categorias Meio Ambiente Rotulagem Ambiental. Essa moda pega?